HISTÓRIA

Unifan-1230×130
aguia-1
golden-bowl
kart-passeio

logotipo-esmeraldino1

QUEM SOMOS NÓS?
O Portal Esmeraldino tem uma vida de alguns bons anos. O site, que é o maior portal de notícias do clube feito pelos torcedores, já tem uma história de muitos internautas, leitores cativos, e membros que deixaram um grande legado ao discutir tudo que envolve o Goiás Esporte Clube.
O registro de domínio do Portal Esmeraldino aconteceu em junho de 2001, por Daniel Sardinha. Em 2005, Daniel juntou-se a Gerliézer Paulo, Elias Júnior Vinícius Moreira e Jivago Medeiros para finalmente colocar no ar aquele que seria o site com o selo de ‘melhor portal esportivo’ do mais famoso site de buscas da época, o www.cade.com.br. O site entrou no ar em 15 de outubro de 2005. No período, atingiu o marco de site esportivo mais visitado do Centro Oeste. Nomes conhecidos da torcida esmeraldina como Vinícius Moreira (Gosmric), Luis Gustavo de Araújo, Renato Oliveira, Leandro Resende, Estevão Maurício e Thiago Fava, tiveram também sua parcela re contribuição para tornar o Portal Esmeraldino uma potência, lida não só em Goiânia, mas por pessoas de Goiás, do Brasil, e até mesmo do exterior. Dentre essas pessoas torcedores esmeraldinos, torcedores de outros times, imprensa em geral, jogadores e diretores do verde.
O Portal Esmeraldino acompanhou a Copa São Paulo de 2008 sempre junto aos meninos do clube. Além disso, mantinha um setorista sempre nos treinos do Goiás, trazendo informações sempre em primeira mão do que acontecia em cada preparação para os jogos. Nosso portal também foi o primeiro a realizar, em Goiás, uma transmissão de partida ‘minuto a minuto’ costumeiramente vista hoje em sites como Globo Esporte e UOL Esporte.
O site ali já se mostrava extremamente completo. Cobertura total do futebol profissional, dos bastidores, da base, dos esportes olímpicos, etc. Além disso, trazia a público estatísticas e opiniões sensatas e diretas, onde não existia ‘mão na cabeça’. Quando precisava elogiar, elogiava. Quando precisava criticar, esta crítica era feita. Ainda em 2009, quando o atacante Fernandão foi anunciado no lançamento dos novos uniformes do clube, o Portal Esmeraldino foi o primeiro a divulgar a informação, causando assim uma queda dos servidores com a imensa quantidade de pessoas buscando tal notícia.
Desde aquele período o site buscava se manter no ar. É árduo o trabalho para um site angariar recursos noticiando e opinando apenas sobre um time de futebol.
Em 2009, o Portal Esmeraldino foi adquirido por Wanderson Guimarães, em uma transação que visava aliar o Portal Esmeraldino ao Programa 100% Verdão e futuramente a Rádio Esmeraldina, que ficou aberta até 2010. Neste período, nomes como Xiko Barbosa, Renato Valinote e Elder Dias estiveram ao lado do site, auxiliando em seu crescimento e levando ácidas opiniões sobre um dos piores períodos do clube ao torcedor.
Após o período, nomes como Alex Dias e Felipe Lemos passaram pelo site, sendo este último, repórter paulista de cobertura nacional de várias equipes, integrado a equipe como colaborador até os dias de hoje.
Atualmente, o Portal Esmeraldino conta com uma nova e promissora gama de blogueiros, sendo eles jovens e de forte opinião. Conheça nossa equipe clicando aqui. E com esta nova equipe, visando uma maior aceitação do mercado e crescimento do futebol goiano, o Portal aliou-se a dois grandes portais de notícias dos outros dois maiores clubes da capital goianiense, sendo eles o Dragão Goiano, e o Sou Tigrão, buscando assim com que o futebol goiano seja ainda melhor vislumbrado por todos que nos acompanham.
Política do Site
O Portal Esmeraldino não tem qualquer vínculo com o Goiás Esporte Clube, a não ser a paixão dos membros que o compõe. Todos são, acima de tudo, torcedores. Ninguém sobrevive ou adquire lucros com o site, todos escrevem por amor ao clube e por entender que este espaço leva as suas opiniões ao maior número de pessoas possíveis dada sua longínqua história no ar. Todos os seus membros são orientados a sempre respeitar o próximo, mas dispõem de liberdade para tratar sobre os mais diversos assuntos relativos ao clube.
Nosso site tem opiniões próprias, onde até mesmo o seu internauta tem a oportunidade de opinar em todos e quaisquer assuntos ora discutidos em cada momento.
501px-goias_esporte_clube_inverted_logo-svg
HISTÓRIA DO GOIÁS ESPORTE CLUBE
“aquele que alimenta todos os dias nossa vontade de estar ao lado de você, torcedor”
Uma história de sucesso e triunfo!
O Goiás Esporte Clube nasceu de um sonho, que teve os primeiros passos rumo à realidade na noite de 6 de abril de 1943, na calçada da rua 23, Centro de Goiânia, sob um poste de iluminação pública. Foi neste local que um grupo de amigos, que tiveram o sonho em comum, começou a organizar o clube que hoje, passados 71 anos, se transformou num dos principais do País e indiscutivelmente o maior do Centro-Oeste. Ali, naquela calçada, sob aquela luminária, nasceu um campeão.Na verdade, o inusitado local de fundação do Goiás tem um motivo até certo ponto simplório. O que aconteceu foi que os criadores do clube se reuniram na casa dos irmãos Lino e Carlos Barsi para discutir o projeto. Como se tratava de um grupo de entusiastas, é fácil imaginar o volume elevado das vozes durante o debate. E foi exatamente o barulho da conversa que fez com que a matriarca da família Barsi determinasse que a reunião prosseguisse do lado de fora da casa. Por isso, o Goiás nasceu sob a luz de um poste de rua. Provavelmente, por isso também, que ele seja um clube absolutamente “iluminado”.Os primeiros anos foram difíceis, embora alguns detalhes já deixassem antever o futuro vitorioso. Acontecimentos como, por exemplo, o 3º lugar no Campeonato Goiano de 1944, o primeiro da história, logo atrás do Atlético e Goiânia, as duas forças da época. Ou a conquista, em campo, do titulo de 1951, perdido posteriormente na Justiça para o Goiânia. De qualquer maneira, se o futuro seria brilhante, as duas primeiras décadas exigiram dedicação, perseverança e determinação dos fundadores.

A primeira partida da história do Goiás foi contra o Atlético Goianiense e, ainda sem recursos financeiros, o novo clube utilizou no confronto camisas com listras horizontais em verde e branco, doadas pelo América Mineiro. Mas como os mineiros só puderam dar nove camisas, o uniforme do time teve que ser completado com camisas na cor branca. O jogo ocorreu no Estádio Olímpico, na Avenida Paranaíba.

Naquela época, o time realizava seus treinos em um campo de terra anexo ao estádio da Avenida Paranaíba, e mandava seus jogos no campo de grama do antigo Olímpico. Em 1960, porém, a diretoria negociou a compra de uma área numa região da cidade então conhecida como Fazenda Macambira. Essa área é hoje a sede da Serrinha, onde está erguido o Estádio Hailé Pinheiro, entre outras benfeitorias. A região é na atualidade um dos pontos mais nobres e valorizados de Goiânia. E a década de 1960, que começou promissora, seria, de fato, o inicio da mudança no status do clube.

O ponto alto daqueles anos foi a conquista do primeiro titulo de campeão goiano. Aconteceu em 1966 e o Goiás fez uma campanha memorável, em que perdeu apenas um jogo, erguendo a taça pela primeira vez, um gesto que se repetiria 23 vezes nas décadas seguintes, transformando o clube no maior vencedor de Goiás e da região Centro-Oeste. Mas foi na década seguinte que o clube começou a dominar os certames estaduais e a ganhar certo destaque em competições nacionais.

Logo no inicio dos anos de 1970, o Goiás conquistou seu primeiro bicampeonato estadual, em 1971 e 1972. Em 1973, o clube se tornou o primeiro do Estado a disputar o Campeonato Brasileiro, criado dois anos antes. A estreia foi contra o Olaria, do Rio de Janeiro, dia 26 de agosto, um domingo, no Estádio Olímpico Pedro Ludovico. O resultado foi um empate por 0 a 0. Três dias depois, dia 29, quarta-feira, o Goiás voltou a campo no mesmo estádio para enfrentar outro carioca, bem mais poderoso, e chegou à sua primeira vitória em campeonatos brasileiros. Foi contra o Flamengo, e o resultado foi 1 a 0, gol do atacante Lincoln.

A década terminou, em termos de títulos, com a conquista de mais um bicampeonato estadual, em 1975 e 1976. Nos anos de 1980 o Goiás ganhou mais cinco títulos estaduais, inclusive o terceiro bicampeonato, 1986 e 1987. Essa também foi a década em que o clube adquiriu o terreno onde fica o Centro de Treinamentos entre o Parque Anhanguera e o Jardim Atlântico, em Goiânia, propiciando ao Goiás a edificação de uma das melhores infraestruturas do futebol nacional. Exatamente a organização que permitiu ao time esmeraldino continuar crescendo e viver na década seguinte a mais vitoriosa de sua história até aqui.

Os anos 1990 começaram com um titulo estadual e o vice-campeonato da Copa do Brasil, ambos em 1990. Muito mais estaria por vir, no ano seguinte, 1991, o Goiás conquistou o, então, inédito tricampeonato goiano. E outros cinco títulos estaduais ainda foram levantados naquela década, incluindo um pentacampeonato estadual, obtido com as conquistas entre 1996 e 2000. A galeria de títulos dos anos 1990 foi enriquecida ainda com a taça de campeão Brasileiro de série B, o primeiro título nacional da historia do clube, em 1999, que foi precedido pelo vice-campeonato na mesma série, em 1994.

No âmbito administrativo, dois grandes destaques marcaram a década de 90. Um deles foi a inauguração do Estádio Hailé Pinheiro, localizado na sede da Serrinha. A abertura do local aconteceu no dia 8 de fevereiro de 1995, com o Goiás recebendo o Kashima Antlers, do Japão, para uma partida amistosa. Dois anos depois, em 1997, o clube foi oficialmente incluído no chamado Clube dos 13, a associação das maiores agremiações de futebol do País.

Em 2000, o clube fechou a campanha do pentacampeonato estadual e iniciou a caminhada para a conquista do tricampeonato na Copa Centro-Oeste, ganhando a competição em 2000, 2001 e 2002. A primeira década do Século 21 viu ainda a vitória esmeraldina em outros quatro títulos goianos, incluindo o bicampeonato, em 2002 e 2003.

Em 2005, nova barreira foi superada, quando o time realizou ótima campanha no Brasileiro, terminou na 3ª colocação e obteve uma inédita vaga para disputar a Taça Libertadores da América, a principal competição do continente, na temporada seguinte, 2006. O Goiás voltou a ter destaque internacional quatro anos depois, em 2010, quando chegou a à final da Copa Sul-Americana, ficando com o vice-campeonato, após perder a disputa final nos pênaltis para o Independiente, da Argentina. A década atual já presenciou um bicampeonato estadual, 2012 e 2013, além do bicampeonato no Brasileiro da série B, conquistado em 2012, o segundo titulo nacional do clube.