Por mais ‘Atletibas’ pelo Brasil

Unifan-1230×130

O Portal Esmeraldino manifesta apoio ao Atlético Paranaense e Coritiba, depois de serem censurados covardemente pela Federação Paranaense de Futebol, pela transmissão da partida no YouTube e Facebook, sendo aquele um marco histórico perante a independência das instituições esportivas frente ao monopólio da televisão.

Que este fato seja só o início de uma revolução, para que valores mais justos e iguais sejam pagos a todas as equipes que dependem de sua imagem para sobreviver. O Portal Esmeraldino apoia qualquer movimento em prol dos torcedores.

Para entender o fato, acompanhe a explicação de Cassio Zirpoli, blogueiro do Diário de Pernambuco:

Sem contrato de transmissão no Estadual, Atlético-PR e Coritiba entraram em acordo para a exibição do clássico de forma exclusiva pela internet, em seus perfis oficiais no youtube e no facebook. Fato devidamente noticiado e repercutido, já tratado como uma revolução (necessária), até pelo “não” à proposta de R$ 1 milhão da RPC, afiliada da Globo, num momento em que outros estaduais receberam aumentos substanciais.

O jogo estava agendado para as 17h, com a transmissão começando às 16h40, com narrador e comentarista, contratados de forma pontual, e duas repórteres de campo, uma de cada clube. Eis que o jogo atrasou, sem sentido. Naquele momento, com todos em campo, os quatro perfis já somavam 69 mil online.

Veio a explicação: o árbitro Paulo Roberto Alves foi orientado pelo presidente da federação paranaense de futebol, Hélio Cury, a não iniciar até que a transmissão fosse suspensa. Sabe-se lá a partir de qual cláusula, ele ordenou e ponto.

Repetindo: os clubes não têm contrato sobre o torneio, podendo negociar outros formatos, como inclusive fizeram no Campeonato Brasileiro, fechando com o Esporte Interativo, em vez do Sportv, braço da Globo, como era há anos. Não por acaso, os dirigentes dos clubes, reunidos no campo, não cederam.

Durante a transmissão foi até possível acompanhar a discussão no corredor.
“A gente não vai passar por causa da Globo?!”
“Se a gente aceitar isso, é baixar as calças”

Assim seguiu o imbróglio, durante 47 minutos, com a audiência crescendo sem parar. Chegou a 145 mil acessos de todo o país, de forma simultânea, até o cancelamento do jogo, com os jogadores agradecendo o público presente na Arena da Baixada. E a audiência digital mostrou que a transmissão online tem, sim, apelo. E quem lutou arduamente para vetar o jogo sabe muito bem disso…

Pico de audiência do Atletiba (simultâneo)
Youtube: tvatleticopr 50 mil e coritibaoficial 36 mil
Facebook: atleticopr 37 mil coritibaoficial 22 mil

“Fica um alerta para os demais presidentes de clubes: sigam o exemplo de Atlético e Coritiba. Vamos romper com o status quo”
A declaração de Luiz Sallim, presidente do Furacão, encerrando a transmissão.

Hoje, os contratos de transmissão audiovisual no país contam com cinco plataformas: tevês aberta e fechada, pay-per-view, sinal internacional e internet.

Foto: Diário de Pernambuco.

Foto: Diário de Pernambuco.

Confira também uma visão crítica, do coerente Juca Kfouri, no Blog do Juca (UOL):

O Atletiba marcado para hoje não aconteceu.

Porque os clubes não aceitaram a proposta da Rede Globo e decidiram transmitir o clássico pelos seus respectivos canais na Internet.

A Federação Paranaense não deixou e os clubes resolveram não jogar.

Uma atitude histórica, corajosa e um convite aos demais clubes brasileiros para manter soberanas as suas decisões.

É direito da TV achar que o jogo vale menos do que os clubes querem?

É.

E é direito dos clubes fazerem o que bem entenderem com os jogos que não venderam para a TV?

Sem dúvida, também é.

Inadmissível é o comportamento da federação, entidade meio, que deveria estar a serviço dos clubes e que jamais poderia extrapolar em suas funções.

Está mais do que na hora de acabar com ela, por autoritarismo, incompetência e inutilidade.

Confira o posicionamento oficial de Coritiba e Atlético-PR em relação ao ocorrido neste domingo

O Coritiba Foot Ball Club e o Clube Atlético Paranaense informam que o clássico deste domingo (19), no Estádio Atlético Paranaense, não foi realizado devido à decisão da Federação Paranaense de Futebol de não autorizar o início da partida com a transmissão dos clubes em seus canais oficiais, no Facebook e YouTube, contrariando os interesses de seus afiliados CAP e CFC.

Os clubes lembram que a ação pioneira foi realizada, pois as duas equipes não venderam os direitos de transmissão de seus jogos no Campeonato Paranaense, por não concordarem com os valores oferecidos.

Diante da posição arbitrária e sem qualquer razoabilidade da Federação Paranaense de Futebol, os clubes lamentam o prejuízo causado ao futebol paranaense, em especial aos seus torcedores.

3 Comentários

  1. Loriano freire disse:

    Acho que o Goiás na série B não tem peito pra enfre tar a CBF e rede Globo, deixa pra quando voltar série A !!!

  2. Henrique disse:

    O Atlético PR é uma instituição de futebol a frente do nosso tempo mesmo.
    Será que o nosso verdão terá algum dia pessoas inovadoras capazes de romper com os parâmetros pré estabelecidos?

  3. Gilberto Barros Vieira disse:

    Parabéns, até que enfim. Seria maravilhoso se os clubes unissem para enfrentar esse câncer que corrói nosso futebol. Chamado federações, CBF e rede globo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *