Unifan-1230×130
aguia-1
kart-passeio

Foto: Rosiron Rodrigues / Goiás E.C.

Por incrível que possa parecer, o empate de ontem – somado com o do último sábado – serviu para colocar o Goiás no seu devido lugar. Não, não estou aqui ironizando o clube ou o atual momento, mas sim mostrando a você, torcedor, que este elenco de 2017 nunca teve nada de especial. Hélio dos Anjos tem conseguido extrair o melhor que pode ser feito com os jogadores, mas isso não é o suficiente para acreditar em algo além da fuga do risco de queda para a Série C. Aliás, ressaltado precisa ser o trabalho do filho do Hélio, assistente técnico do Goiás, que estudou muito tempo o padrão Europeu e tem auxiliado o pai brilhantemente no que tange a organização tática do time.

O Goiás é outro. Ataque em linha de 5, com dois armadores. Linhas de marcação e cobertura, além da maior organização tática do time em 2017. Trouxe resultados? Felizmente! Mas, o atual elenco não tem total capacidade de compreender muito do que é repassado. Prova disso são os dois últimos empates, que nos trouxeram a certeza que o limite já foi atingido quanto a capacidade dos atletas. Alguns poucos se salvam, mas isso é tema para o próximo texto, que só irei escrever após o Goiás completar 45 pontos. Neste novo texto vamos discutir quem sai e quem fica, e as possibilidades que aparecem para o ano que vem.

Mas, voltando ao foco: temos um elenco capaz tão somente de se manter na Série B. Ou aqui alguém acredita que mesmo com dois empates em casa contra Guarani e Criciúma, teremos facilidades para vencer Londrina (fora), Ceará (casa), CRB (fora), Internacional (casa) e Oeste (fora)? Estes três pontos que restam para livrar de vez da zona serão difíceis de conseguir. Lembro outro detalhe: apenas iniciamos a rodada. Ainda tem outros jogos, o que poderá fazer com que haja diminuição da galera da parte debaixo em relação a pontuação do Goiás.

Então, torcedor que chegou a acreditar no acesso até dois jogos atrás: cuidado. Nossa briga é outra. Coloque a cabeça no lugar e apoie o time no objetivo principal, que é livrar da Série C. Quando fizermos 45 pontos, aí sim discutiremos outros fatores.

DE OLHO, ESMERALDINO:

1 – Menção honrosa ao marketing do Goiás. A nova equipe realmente tem ouvido o torcedor e o convencido a apoiar o time mesmo no seu pior momento. Todas as ações no Estádio Serra Dourada são louváveis e dignas de aplausos e exemplo para as administrações antigas e que vierem.

2 – Elyeser mudou completamente sua forma de jogar com Hélio dos Anjos. É um jogador inteligente, e que necessitava mesmo de uma proposta de organização tática como vem acontecendo.

3 – Segundo estatísticas do site chance de gol, do UOL, a atual pontuação do Goiás (43 pontos) somente garante 50% de chances de permanência na elite. Caso atinja os 45 pontos – ou 46 com mais uma vitória – as probabilidades ficam entre 97% e 99,5% de chances de permanência. Em compensação, hoje a chance de rebaixamento do clube gira em torno de 0,4%, mas perde para o Criciúma – 11º lugar que tem apenas 0,1% de chances de cair, e pode ser ultrapassado ainda pelo Paysandu, que tem 0,6% de chances, mas que deve diminuir caso o time de Belém vença o Vila Nova.

1 Comentário

  1. Felipe_SKR disse:

    Isso mesmo diego, eu que sou um torcedor que não vai na emoção, sabia que os empates ou derrotas iam vir e acabar com isso de acesso, nossa meta é única e exclusivamente se manter na série b nada além disso, pra quem viu de perto o fantasma da série c de perto está ótimo se manter, agora ano que vem É OBRIGAÇÃO !!

    Diego porque você não escreve para a ESPN no blog para torcedores “O ESPN FC” do Goiás, o Élder Dias que escreve não atualiza, está parecendo blog de time pequeno tudo desatualizado ….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *