Cotas da Série B tem padrão inglês

Por ESPN Brasil:

A Série B tem uma novidade nos moldes da Premier League nesta temporada. Assim como na Inglaterra, as cotas de TV não serão pagas aos clubes pela tradição ou importância no cenário brasileiro, mas levando em conta também o  desempenho no ano anterior.

Algo totalmente diferente do que acontece na elite, por exemplo, onde as cotas são definidas principalmente por fatores como história do time ou número de torcedores, com Flamengo e Corinthians, equipes de maior torcida do Brasil, ganhando bem mais que os outros.

Até 2016, todas as equipes sem contrato fixo da Série B com a TV Globo recebiam exatamente o mesmo valor: R$ 5,2 milhões.

Em conselho técnico realizado na última terça-feira, na sede da CBF, porém, os clubes aprovaram o novo sistema, que terá uma nova divisão: com 60% divididos de forma igualitária e 40% levando em conta o que aconteceu na temporada passada.

Quem mais vai faturar é o Internacional, que na temporada passada disputou a Série A do Brasileiro (e, portanto, ainda recebe o mesmo valor de quando estava na elite): R$ 60 milhões.

Em seguida, aparece o Goiás, que ainda tem contrato antigo de três anos e ainda recebe valor de Série A, divisão em que estava até 2015: R$ 35 milhões.

Na sequência, há blocos de times com valores próximos, definidos pela posição na temporada passada.

Primeiro, aparecem os times que caíram da elite em 2016: o Figueirense, que acabou o Brasileirão em 18º, terá R$ 6,4 milhões; o Santa Cruz, que foi 19º, receberá R$ 6,2 milhões; e o América-MG, rebaixado como lanterna, ganhará R$ 6 milhões.

Foram esses três times, aliás, que comandaram a mudança na distribuição das cotas, já que a nova medida os ajudou a não terem uma queda tão brusca de rentabilidade.

Afinal, eles ganharam R$ 23 milhões pela participação na última Série A, e, se as regras antigas fossem mantidas, veriam suas cotas de TV caíram para R$ 5,2 milhões.

As posições na última temporada da Segundona também determinaram as novas cotas de Náutico (R$ 5,8 milhões), Londrina (R$ 5,6 milhões) e CRB (R$ 5,4 milhões).

Depois, há um grupo de equipes que receberá R$ 5,2 milhões: Brasil de Pelotas, Criciúma, Luverdense, Paysandu, Vila Nova, Paraná, Ceará e Oeste.

Por último, figuram os clubes que subiram da Série C: Boa Esporte, Guarani, ABC e Juventude. Todos terão direito a R$ 4,1 milhões.

Com isso, terminar à frente da tabela da Série B, mesmo que fora do G-4, tornou-se extremamente importante, já que agora será o fator que determina quanto o time irá receber de cotas de televisão no ano seguinte.

Finalizar uma colocação acima, por exemplo, pode render R$ 200 mil na temporada seguinte, por exemplo.

Como funciona na Inglaterra:

Na Premier League, as cotas de TV são divididas da seguinte forma: 50% igual para todos, 25% pela classificação na última temporada (seja na 1ª ou na 2ª divisão) e 25% de live fee.

A live fee é um quociente determinado por quantas vezes o jogo de cada time é exibido, sendo que todos os clubes começam a temporada com a garantia de ao menos 10 partidas.

No total, 10,4 bilhões de libras (R$ 40 bilhões) são distribuídos entre os times.

Destes, 5,3 bilhões de libras (R$ 20,36 bilhões) vêm das transmissões na própria Inglaterra, pelas emissoras Sky Sports e BT, e outros 5,1 bilhões (R$ 19,6 bilhões) de acordos de televisionamento em outros países – incluindo o Brasil, onde a ESPN detém exclusividade.

Esses valores são válidos até a temporada 2018/19, e atualmente são os melhores do mundo.

7 Comments

  1. Avatar Murilo disse:

    Muito dinheiro pra ser investido nas empresas das famílias que comandam o Goiás. E o clube fica com o prejuízo!

  2. Avatar Maria de Fátima disse:

    Sou contra da dinheiro pra time futebol tenhe clube que ganha esse dinheiro todo só encher bolsa de cartola essa dinheramao que caixa da pra clube de futebol deveria ser investido em outra coisas na saúde, educação e na segurança não time que se vira pra arrumar dinheiro principalmente os que arronta riqueza.

  3. Avatar Rafael Ponciano disse:

    Ai os pinheiros e o rassi vai mamar gordo, o Goiás é uma teta.

  4. Avatar Grandão disse:

    Clube com o segundo maior poder financeiro na Bzona e até agora não tem um time ajustado num Campeonato Regional Fraco Tecnicamente, não temos um treinador seguro de suas opções de jogos e mudanças, não temos um Presidente, temos até agora um diretor de futebol meio barro meio tijolo (Aprendendo a função), mas temos a torcida com receio e esperando algo mudar mesmo dentro do Goiás E. Clube.

    #AESPERADEUMMILAGRE
    #PRECISAMOSDEUMPRESIDENTE
    #FORARASSI

  5. Avatar Roberto disse:

    Este time do Goiás é uma vergonha.
    Este técnico é muito fraco. Ou troca logo ou será tarde demais. tem que contratar outro urgente para dar tempo de treinar o time no Goianão.
    Atenção Harjey, tira logo este Banana daí. Não tem tática e nem jogadas ensaiadas no time. FRAAAACCCCOOOO…..

  6. Avatar didi disse:

    É UMA VERGONHA SE NÃO SUBIRMOS, BANDO DE MERDAS!

    • Avatar GoiásAtéMorrer! disse:

      Que é isso, didi?! Com esse dinheiro dá pra comprar mais ônibus, investir em mais concessionárias de automóveis e talvez adquirir mais uns hospitais…mas investir em time de futebol…nãããããoo! Vai que esse time seja campeão de Copa do Brasil e chegue na Libertadores?!?!?
      Como já disse um dirigente esmeraldino…temos que subir até em 2018…enquanto isso, vamos investir esse dinheiro de tv nos nossos patrimônios, ops…ato falho…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!