Que lembranças traremos da Bahia?

Domingo é dia do Verdão visitar Salvador, no maravilhoso Estado da Bahia, cenário histórico, de muita tradição, alegria e belezas naturais. O que não falta por ali são motivos para você se inspirar, mas Ney Franco e companhia tem uma missão difícil pela frente, que será enfrentar o Bahia, em confronto válido pela 15ª rodada e agendado para a Fonte Nova.

Nossa 13ª colocação na Série A, nos proporciona o seguinte escore: 17 pontos conquistados em 14 jogos, em um total de 42 pontos disputados, com 05 vitórias, 07 derrotas e 02 empates, 13 gols marcados e 23 gols sofridos, um saldo negativo de 10 gols e 40,5% por cento de rebaixamento. O lado ruim disso é que estamos caindo na tabela, tendo em o Verdão está a seis jogos sem vitórias após a parada para a Copa América (empates com CSA e Atlético/MG, e derrotas para Flamengo, Santos, Corinthians e Vasco). São 02 pontos conquistados em um total de 18 disputados.

Esses números não podem ser atribuídos somente à queda de rendimento nesse pós Copa América, pois o Goiás não marcou gols nos empates com Avaí e Galo e nas derrotas para CSA, Corinthians e Vasco. Ou seja, em um terço dos confrontos, sequer balançamos as redes.

Não bastassem esses lapsos, dos 13 gols marcados, 70% por cento deles fica por conta da dupla Kayke/Leandro Barcia, com 09 gols. O primeiro marcou seis (02 contra a Chape e gol contra Botafogo, Athletico, Flamengo e Santos), enquanto o segundo marcou 03, contra Athletico, São Paulo e Ceará. Ambos foram decisivos nas vitórias contra Botafogo, Chape, Ceará e Athletico.

Com 01 gols ainda temos Rafael Vaz (gol da vitória contra o Fluminense), Jefferson (desempate contra a Chape), Michael (Cruzeiro), e Marlone (Ceará). Outros 04 gols.

Já utilizamos 24 jogadores na Série A (Daniel Guedes, David Duarte, Fábio Sanches, Geovane, Jefferson, Gilberto, Giovanni Augusto, Júnior Brandão, Kevin, Leandro Barcia, Léo Sena, Marlone, Marcelo Hermes, Marcinho, Michael, Kayke, Paulo Ricardo, Rafael Moura, Rafael Vaz, Rafinha, Renatinho, Tadeu, Yago Felipe, Yago Rocha e Yago).

Tudo bem que cada jogo tem sua história, mas pecamos por não fazer o básico, que é buscar objetivamente o gol. As vezes falta perna, as vezes falta qualidade, mas não acertamos o gol. Aqueles “chutões” isolados mais são uma forma de se livrar da bola, do que uma tentativa de séria de finalização.

Contra o Bahia (10º colocado), estaremos diante de um adversário que marcou mais do que levou. São 16 gols pró, contra 14 sofridos. E que já levou mais de dois gols em um único jogo em 04 oportunidades. É um time generoso, mas que joga de acordo com o ritmo do adversário. Os números mostram que se você atacar o Bahia, tem que ir com muita força, porque em casa eles reagem bem. Mas também já perderam e empataram em seus domínios.

Por isso, vem a calhar os desfalques pra essa rodada, pois o que se espera é um time mais humilde, porém mais ligado e esforçado em campo. A regra seria tentar mostrar serviço, para ter mais oportunidades. É assim que funciona entre os normais, principalmente quando se tem técnico novo e que perdeu em casa na estreia.

Por causa desses mesmos desfalques, o time deve ir a campo com Tadeu; Kevin, Fábio Sanches, Rafael Vaz e Jefferson; Yago Felipe, Jean Carlos, Marlone
e Leandro Barcia ; Michael e Rafael Moura. Parece um 4-4-2, que pode se tornar um 3-5-2 ou um 3-6-1. Vai depender do vigor da equipe e como irão segurar a pressão. Jogo com chance de grande presença de público e o clima ajudando.

Não precisa de muito esforço pra ver que o setor defensivo perde muito em força e marcação com essa equipe. Igualmente, não temos perspectiva de criação de jogadas no meio campo com essas peças anunciadas. Se esses nomes jogarem o que demonstraram até aqui, a chance de derrota é muito grande.

Ou se mostra criatividade e personalidade ainda não demonstradas em campo, ou nossos problemas só tendem a aumentar. O erro será achar que dá pra jogar de igual pra igual contra os baianos. Temos que usar a inteligência e correr somente o necessário.

Mas não podemos deixar a bola com o adversário. Amanhã é dia dos laterais e Marlone correrem e jogarem como nunca, pois se Michael tiver que voltar pra marcar e buscar a bola, a gente já sabe que não terá perna pra cruzar ou finalizar jogadas, como já vimos diversas vezes esse ano. E que Leandro Barcia mostre algum serviço, pois já não é visto pela torcida como um jogador digno da titularidade, muito embora não tenhamos muitas opções no elenco.

Que DEUS proteja o Goiás!

1 Comment

  1. Avatar Arsenio disse:

    Caro articulista, apesar do seu otimismo a realidade se impõe. O Goiás repetiu os erros graves dos jogos anteriores: marcação inexistente em todos os setores do campo, dedescumprindo regras elementares do futebol, e a falta de empenho e garra. E esses erros foram tão mais graves porque foi jogo de 11 contra 10.Vergonha, o objetivo do Goias é voltar a serie B e talvez rumar para a C.
    Que inveja do torcedor do Bahia, raça, velocidade , coisas a muito tempo sumida no Goiás.
    Um tecnico sem voz de comando sem noção, perdido.
    “É o dia dos laterais e Marlone jogarem como nunca”, defato jogaram como nunca se deve jogar…
    É o fim, já que parafraseando a imortal Cora Coralina, mas com sentido totalmente difetente: “do Paranaíba para cá me basta”

    Adeus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!