Opinião: Goiás e o Bairrismo

Foto: Reprodução

Saudações Esmeraldinas!

Gostaria de compartilhar algumas reflexões sobre o tema do bairrismo e a dinâmica dos jogos envolvendo o Goiás Esporte Clube e times do eixo. É importante que, em nossa paixão pelo Goiás, também possamos valorizar o futebol do nosso estado como um todo.

É verdade que, quando se aproxima um jogo entre o Goiás e uma equipe do eixo, frequentemente surge o debate sobre o local da partida. Muitos jornalistas esportivos em Goiás têm uma inclinação por times do eixo, o que, às vezes, parece suprimir a valorização de nossos próprios clubes locais. No entanto, é vital lembrar que valorizar o futebol goiano é um passo importante para o seu crescimento.

O bairrismo muitas vezes assume conotações políticas, especialmente quando figuras públicas expressam apoio a times de fora. Isso pode criar uma impressão de que nossa própria cultura futebolística não é respeitada. É importante que as políticas em relação aos jogos sejam aplicadas igualmente a todos os clubes, sem exceções.

A recente proposta de levar o jogo entre Goiás e Flamengo para o Estádio Serra Dourada, com o estádio dividido por questões de segurança, levantou discussões. A diretoria do Goiás rejeitou a proposta, argumentando a autonomia do estádio e questões técnicas. Isso reflete o desejo de manter o ambiente da Serrinha, mesmo que ainda esteja em construção, como um local hostil para os adversários.

É compreensível que o Goiás, como maior time do estado, queira uma presença majoritária de sua torcida em seus jogos. Isso faz parte da essência do futebol, onde a relação entre time e torcida é fundamental.

Por outro lado, é desconfortável perceber que atitudes políticas possam favorecer torcidas de times de fora, em detrimento dos clubes locais. Essa percepção pode afetar a imagem do futebol goiano e desestimular o apoio local.

O bairrismo no futebol tem seu lugar. Valorizar os times locais e suas rivalidades é importante, mas isso não deve se traduzir em desvalorizar outras regiões.

A mídia do eixo Rio-São Paulo, muitas vezes, parece menosprezar o futebol fora desses centros. No entanto, o Brasil tem uma riqueza de histórias e conquistas futebolísticas em todo o país, incluindo em Goiás. Devemos valorizar nossa cultura futebolística e contribuição para o esporte nacional.

A torcida do Goiás, com sua participação nos jogos e seu comprometimento com o time, é um exemplo de como o bairrismo pode ser construtivo. A mensagem “Sou Goiano, e meu time também” reflete um orgulho legítimo, e é isso que mantém viva a paixão pelo nosso clube.

Em última análise, temos que amar nosso Goiás intensamente e cada vez mais valorizar nossa cultura e futebol, e fazer isso ecoar brasil a fora.

Saudações esmeraldinas!

Leia Mais:

A opinião de um artigo assinado não reflete necessariamente a opinião do site, é o ponto de vista exclusivo do autor que elaborou o artigo.